Gramática para o TJDFT: como estudar? - IMP Concursos
orenairport.ru eu-ua.org glory-casinobd.com godawards.com iscat.info pluso.ru mikemarko.com rossiyanavsegda.ru lesousbock.com azuresummit.live mines-games.com kortheatre.kz zhetysu-gazeti.kz rwp.ru

Notícias

14 de março de 2022

Gramática para o TJDFT: como estudar?

Organizar o estudo de Gramática para o TJDFT não é uma tarefa simples. Mas não se preocupe, o Blog do IMP está aqui para te ajudar. Prosseguindo com a série de artigos especiais que estamos publicando para o certame, preparamos junto com nosso especialista, professor Fernando Moura, dicas importantes que vão te orientar a organizar melhor a sua preparação. 

A grande mudança: banca FGV

A grande mudança é sem dúvida a escolha da banca Fundação Getúlio Vargas (FGV). As provas anteriores sempre foram executadas pelo Cespe/Cebraspe. Segundo Fernando Moura, o edital da FGV traz peculiaridades relacionadas à linguagem e à lógica, além de diversos elementos tipológicos, discursivos e estilísticos. “Trata-se de uma banca diferenciada: apresenta questões originais, imprevisíveis e, por vezes, muito complexas”, explica ele.  

A boa notícia é que organizando direitinho é possível estudar todo o conteúdo até o dia da prova. Mas vale ressaltar que o candidato precisa dominar os aspectos teóricos de texto e de gramática e resolver muitas questões elaboradas pela banca. 

• AULÃO DE REVISÃO PRESENCIAL TJDFT

Dicas do especialista

Como montar um planejamento de estudos de gramática para o TJDFT?

A dica de ouro é: prioridade ao texto. 

  • Compreensão, 
  • Interpretação, 
  • Decodificação,
  • Inferência, 
  • Silogismo, 
  • Métodos dedutivo e indutivo e outros aspectos. 

Como a FGV costuma cobrar a disciplina? 

Por meio de uma sequência de textos de diversos tipos e gêneros. Às vezes, como ocorreu no concurso para o cargo de inspetor da PCRJ (2022), a prova traz textos longos. 

Quais os principais tópicos da disciplina cobrados pela FGV, levando-se em consideração o histórico da banca? 

  • Compreensão e interpretação de textos;
  • conectivos referenciais e sequenciais;
  • Reescrituras;
  • Estratégias argumentativo-expositivas;
  • Classes e significação de palavras; 
  • Concordância;
  • Regência; 
  • Pontuação. 

Como dividir o tempo de estudo entre conteúdo e revisão na disciplina de Gramática para TJDFT? 

Sugiro que o candidato separe, pelo menos, duas horas por dia para o estudo dos aspectos teóricos. Também recomendo que, antes de iniciar a rotina de estudos, analise um texto e a(s) questão (ões) relacionada (s) a ele. É imprescindível o treino para a realização da prova discursiva, que tem caráter eliminatório e classificatório. 

Quais os erros mais comuns dos candidatos na hora de se preparar?

Primeiro subestimar as questões de interpretação. Não conhecer a linguagem da instituição e as estratégias de cobrança e por fim, não treinar a produção de textos (prova discursiva). 

Quais os erros mais comuns dos candidatos na hora de fazer a prova?

No dia da prova o candidato deve estar atento, pois cada detalhe vai fazer toda a diferença na sua aprovação. Entre os erros mais comuns, estão: 

  • Não ler os comandos com atenção; 
  • Não aplicar devidamente as técnicas de interpretação (estrutura coesiva, funções da linguagem, inferências, relações discursivas de acordo com o tipo/gênero do texto);
  • Ferir os aspectos macroestruturais (conteúdo e estrutura) e microestruturais (modalidade culta) da redação. 

Com relação a FGV, quais seriam seus conselhos para o candidato na hora de fazer a prova de gramática? 

As questões de gramática da FGV exigem, especialmente, domínio das classes gramaticais e das suas respectivas funções sintáticas (relações de coordenação e de subordinação entre termos e entre orações). É necessário atenção aos desencadeamentos semânticos. Atenção aos deslocamentos e às inversões. 

Leia também:


2024 - IMP Concursos - Todos os direitos reservados.