Notícias

10 de setembro de 2015

Secretaria de Educação do DF confirmou novo concurso em breve. Confira dicas de especialistas

A Secretaria de Educação do Distrito Federal anunciou recentemente que lançará edital de concurso neste ano. Estão previstas vagas para professores e funcionários de assistência. A organização do certame deve ficar a cargo do Cespe-UnB e os interessados devem se preparar para resolver questões de Lei Orgânica do Distrito Federal, Língua Portuguesa  e Conhecimentos Pedagógicos.

Veja a seguir as dicas dos professores Roberta Guedes, Carlos Machado e Marcelo Paiva  para essas três disciplinas:

Lei Orgânica do Distrito Federal – Carlos Machado:

  • É importante que o candidato tenha clareza nas seguintes definições: Plebiscito– Consulta a prévia (a lei ou ato administrativo) à população sobre assuntos ambientais, sociais, urbanísticos e econômicos; – O voto será facultativo. – Não vincula o Poder Público. – Câmara Legislativa convoca o plebiscito (art. 60, XLII). Referendo – Consulta a posterior (a lei ou ato administrativo) à população sobre assuntos sociais, urbanísticos, econômicos e administrativos; – O voto será obrigatório. – Vincula o Poder Público. – Câmara Legislativa autorizará o referendo (art. 60, XLII). Iniciativa Popular – É a capacidade que os eleitores têm para deflagrar o processo legislativo ou provocar um referendo ou plebiscito. No Processo Legislativo Distrital diferente do Federal os eleitores têm legitimidade de iniciarem uma Proposta de Emenda à LODF;
  • As regiões administrativas serão criadas e extintas mediante lei (ordinária), de iniciativa privativa do Governador do DF, aprovada pela maioria absoluta dos Deputados Distritais.
  • Os valores fundamentais são diferentes dos objetivos prioritários do DF. Os VALORES relacionam-se com os princípios basilares que norteiam a conduta do DF e guardam paralelo com os da CF/88, os OBJETIVOS  são metas que o DF tem como prioridade alcançar, sendo assim, normas programáticas, e dependem, em regra, de leis e/ou políticas públicas para a sua efetividade social:

VALORES FUNDAMENTAIS  – (AU CI DI VA PLU) OBJETIVOS DO DF: ART. 3º.

  • AU. A preservação de sua AUtonomiacomo unidade federativa;
  • CI. A plena CIdadania;
  • DI. A DIgnidadeda pessoa humana;
  • VA. Os VAloressociaisdo trabalho e da livre iniciativa;
  • PLU. O PLUralismo político.
  • Os servidores públicos nomeados em virtude de concurso público serão estáveis após três anos de efetivo exercício. ATENÇÃO: o art. 40 da LODF, que diz após 2 (dois) anos de efetivo exercício, foi revogado tacitamente pelo art. 41 da CF;
  • Compete PRIVATIVAMENTE ao Distrito Federal manter, com a cooperação técnica e financeira da União, programas de educação, prioritariamente de ensino fundamental e pré-escolar e celebrar e firmar ajustes, consórcios, convênios, acordos e decisões administrativas com a União, Estados e Municípios, para execução de suas leis e serviços.

Conhecimentos Pedagógicos – Roberta Guedes

  • Refaça as últimas provas para o cargo pretendido, elas lhe ajudarão a estudar;
  • Aumente seus estudos em Currículos, Projeto Político Pedagógico e Avaliação. Com certeza estes conteúdos serão cobrados;
  • Quanto mais exercícios melhor, pelo menos 30 de cada conteúdo por dia. Os candidatos estão estudando há, no mínimo, um  ano. O diferencial poderá ser as questões dos conteúdos menos cobrados como, por exemplo, as leis que devem ser solicitadas em mais de uma quest]ao e são mais complexas;
  • Conhecimentos sobre Educação Inclusiva devem ser cobrados, se não de forma direta, de forma indireta.

Língua Portuguesa – Marcelo Paiva

  • As provas de Língua Portuguesa exigem conhecimentos gramaticais inseridos no contexto de coerência, coesão, interpretação de texto.
  • Além do conhecimento das regras gramaticais que sempre aparecem no edital, o candidato deve se preparar para os elementos coesivos (principalmente conjunções e pronomes) e questões de coerência na análise do texto.
  • Ao se preparar para um concurso, não se deve estudar Língua Portuguesa como é ensinada na escola e na faculdade. Geralmente, aprendemos português por meio de regras decorativas que pouco ajudam no concurso público (muitas vezes atrapalham). Certamente, o candidato deve conhecer a gramática e ter estudado interpretação de texto. O essencial, no entanto, é realizar provas da  banca organizadora.
  • O candidato perde muito tempo quando não está acostumado com a banca organizadora. Assim, perde-se tempo na teoria para entender a questão. Isso não deve ocorrer com o candidato bem preparado. Ao ler o enunciado e o texto, ele certamente perceberá a intenção real do comando. Por isso, recomendo que o candidato leia o comando com calma e sempre revisar as respostas e o pensamento que o conduziu até tal resposta. Concurso explora muito a capacidade de interpretar e a tomar decisões com base em detalhes.


2019 - IMP concursos - Todos os direitos reservados.