Notícias

6 de novembro de 2020

Resumo para concurso: você sabe como fazer?

Se você está se preparando para algum concurso e quer melhorar sua técnica de fazer resumos, o blog vai te ajudar. São dicas simples e fáceis de aplicar, mas que são imprescindíveis!

Não é segredo que um bom resumo é imprescindível para otimizar o estudo das matérias de um concurso. O resumo para certame precisa ser completo, esquemático, porém objetivo e direto ao ponto.

Escrever é importante

Existem vários tipos de resumo para concurso por tópicos, flashcards, tabelas, mapas mentais, entre outros. Mas independente do esquema que você escolha, um ponto em comum entre todos eles é que o resumo por escrito é mais eficiente.  

A prática de escrever o que foi estudado auxilia no aprendizado e memorização. E escrever é uma dica preciosa, pode acreditar! Ao escrever você presta mais atenção naquilo que está lendo e consegue identificar o que é importante.

Escrever X Copiar

Entenda que: escrever e copiar não são a mesma coisa.

“A mera reprodução das palavras de um texto não é, propriamente, um resumo, é simples cópia que não ajuda muito no processo de aprendizagem. O resumo é uma técnica que consiste, basicamente, em apreender determinado conteúdo e expor, com suas próprias palavras, os pontos mais importantes desse conteúdo. É importante para forçar o estudante a de fato compreender o que está estudando, pois ele é obrigado a processar o conteúdo e refletir sobre ele, para, somente então, passa-lo para o papel”, ressalta o nosso professor José Trindade, professor de Direito Administrativo, bacharel em direito pela Universidade Federal da Paraíba e servidor do Ministério Público Federal.

O mais importante é escrever sempre com as suas palavras, isso vai fazer com que você compreenda o que está lendo e depois consiga condensar aquilo que aprendeu.

Vale ressaltar que na hora de fazer o resumo para certame, só deve ser colocado no papel os assuntos que você já entendeu. Aquilo que você ainda tem dúvida precisa ser melhor estudado antes de ser resumido.

O que é um estudo eficiente?

Segundo explica nosso professor, Décio Sousa, servidor público há 10 anos e especialista nas matérias de raciocínio lógico, matemática, estatística e gerenciamento de estudos de alta performance, o estudo para concursos difere do estudo acadêmico, não pela profundidade – já que muitas vezes é até maior -, mas por ser pautado em uma regra básica, a qual é resumida a uma única palavra: eficiência.

“A eficiência a que me referimos significa basicamente: acertar o máximo possível das questões cobradas, preparando-se com o menor esforço e o menor dispêndio de tempo possível. Não confunda “menor esforço possível” com “vida fácil”, a aprovação em concursos requer comprometimento e perseverança. Porém, não é necessário que levemos anos e anos nesse ritmo para alcançar a aprovação. Não passa em concurso quem estuda mais, passa quem estuda melhor: usando o material adequado, a técnica correta e o enfoque certo”, explica ele.

• Coaching 2.0

Quer saber mais?

Rola o cursor e confere esse artigo.

Temos certeza que esse bate-papo com que fizemos com nossos especialistas, José Trindade e Décio Sousa, vai te ajudar a melhorar sua técnica de resumo para concurso.

• IMP Planner

O resumo para concurso é uma técnica de estudo para memorização e aprendizagem? Explique como funciona.

Mais que uma técnica de estudo, o resumo é a maneira mais eficaz de memorização e aprendizagem. Conseguir sintetizar com suas próprias palavras um conteúdo estudos é a demonstração clara do domínio da matéria. 

Qual seria o primeiro passo para o aluno iniciar o resumo?

É indispensável compreender bem o conteúdo, ou pelo menos apreender sua lógica e entender as informações mais importantes; se não for cumprida adequadamente essa primeira etapa, o resumo se transforma em uma reprodução automática e sem sentido, e, portanto, inútil.

O resumo para concurso funciona para qualquer matéria?

Em regra, sim, exceto para as matérias de exatas (matemática, por exemplo), que possuem uma teoria rápida, sintética, e o foco principal deve ser a resolução de questão.

• PF: Bolsonaro dá sinal verde para realização do certame

Os resumos são válidos para quem está começando a estudar e também para quem já está estudando há muito tempo?

Tanto válidos como INDISPENSÁVEIS para os dois tipos de alunos.

Existe alguma diferença entre o resumo de quem está começando a estudar para o resumo de quem já estuda há tempos?

Não existe diferença. Quando o quesito é estudar para um Concurso Público, o resumo já dever ser feito da maneira mais eficiente possível. O aluno iniciante encontrará um pouco mais de dificuldade no primeiro momento. Mas nada impede que estudante já bem instruído de início possa produzir um resumo totalmente eficaz.

Portanto, as vantagens trazidas por eles são igualmente importantes em todas as fases da preparação. Claro que é mais fácil produzir um resumo quando já se tem uma bagagem maior, no entanto, essa bagagem somente se adquire com a prática.

Quais os tipos de resumo para concurso mais utilizados?

  • Tradicionais por tópicos

Um resumo em tópicos/lista com as ideias importantes que lhe ajudem a recapitular o texto em poucas palavras. Liste as principais ideias que você entendeu e que te façam lembrar do assunto;

  • Mapas mentais

São diagramas sistematizados com o máximo de detalhes possíveis dos assuntos estudados, relacionando conceitos, ideias, imagens e mnemônicos. Partindo de um tema principal que vai se ramificando em outros tópicos importantes. Nesse esquema são utilizadas palavras-chaves que vão se tornando subtemas relacionados à ideia principal;

  • Flashcards ou cartões de memória rápida:

São cartões feitos com perguntas e respostas curtas que auxiliam no resumo e memorização da matéria. Você pode colocar as perguntas de um lado e as respostas do outro, por exemplo. Crie suas próprias fichas, pois ao pensar nas perguntas e respostas você utiliza diferentes processos mentais e seu cérebro consegue gravar mais conteúdo a longo prazo.

Você também pode diferenciar os cartões com cores diferenciadas. Escolha uma cor para as respostas que você já sabe, outra para aquelas que você tem dúvida e a última com aquelas que você ainda não sabe.

Quais os tópicos principais da matéria o resumo precisa ter?

No estudo para concursos, o estudante deverá se preocupar com os tópicos mais recorrentes em prova. Para quem está começando a estudar, essa delimitação é mais difícil. Com o tempo, com a prática de resolução de questões, e com a ajuda dos materiais de estudo (os livros e aulas de cada disciplina vão indicar os pontos mais cobrados em prova), ficará mais intuitivo selecionar os conteúdos centrais que devem constar do resumo.

O resumo para concurso serve apenas para revisar conteúdo ou também para fixa-lo?

Para ambas as finalidades: ajuda na revisão, pois é uma sintetização do conteúdo, que reduz muito a quantidade de páginas de leitura sem prejuízo ao conteúdo; e também ajuda na fixação, pois, como já dito, para se produzir um bom resumo é essencial se assegurar de que houve efetiva apreensão dos ensinamentos e da lógica geral do tema.

É melhor que o aluno faça o resumo escrevendo à mão? Por que?

De preferência sim. O ato de escrever à mão envolve a mente de modo diferenciado. Embora possa parecer mais árduo ou até mesmo desperdício de tempo, o ato de fazer anotações à mão é uma das melhores formas, comprovadas por estudos, para memorizar, compreender e melhorar a linguagem.

Indique pelo menos 5 dicas imprescindíveis na hora de fazer um resumo para concurso?

  • Analisar a maior quantidade possível de questões comentadas;
  • Estudar o conteúdo de maneira Ativa;
  • Selecionar no material os trechos onde se encontram as respostas das questões;
  • Transcrever de forma sintetizada (resumo) com as próprias palavras o assunto selecionado;
  • Grifar as palavras chaves no resumo produzido;
  • Se sentir que o resumo está sendo feito no “modo automático”, PARE.

E para terminar, o que não se deve fazer em um resumo para concurso?

  • Anotações de tópicos que não possuem incidência em provas;
  • Deixar o resumo “maior que o próprio livro”;
  • Cair na tentação de escrever tudo que foi estudado – ter serenidade para discernir o que realmente é importante;
  • Não sintetizar com as próprias palavras;
  • Não fazer marcações de palavras chaves.

Veja também:


2020 - IMP Concursos - Todos os direitos reservados.