Depoimentos

A carreira de policial está entre as mais concorridas no serviço público. Milhares de brasilienses sonham com uma vaga na segurança pública, já que a capital oferece a maior remuneração para a categoria em todo o país. O professor Leandro Antunes, coordenador dos cursos da PMDF no IMP Concursos, explica que, além do atrativo salarial, a dinâmica da atividade e o fato dos policiais terem uma maior aceitação social são outros fatores que atraem os alunos. O último concurso para Oficiais da Polícia Militar do Distrito Federal, realizado neste ano, ofereceu 50 vagas, além das 150 destinadas ao cadastro reserva. Na lista dos 10 primeiros colocados, cinco são alunos do IMP Concursos. No total, 83 aprovados estudaram na instituição, inclusive o que alcançou o primeiro lugar do certame.

Para saber como eles chegaram lá, conversamos com três aprovados que estão entre os 10 primeiros colocados da última prova de CFO da PMDF 2017. Confira:
[caption id="attachment_336771" align="alignleft" width="300"]Arquivo Pessoal Ricardo Lessa: “DF é um dos melhores locais do Brasil para exercer a carreira”. (Foto: Arquivo Pessoal)[/caption]

Ricardo Lemes Lessa tem 31 anos e ficou em primeiro lugar na prova objetiva para CFO/PMDF 2017. Ele explica que, após sua aprovação no concurso para soldado da PMDF, em 2009, ele teve condições para se dedicar a uma segunda faculdade. “Apesar das dificuldades em ser policial, o DF é um dos melhores locais do Brasil para exercer a carreira”, opina. Para alcançar a aprovação, Ricardo explica que estabeleceu uma meta de pelo menos quatro horas por dia, com descanso no domingo. “Na reta final aumentei para seis horas, cortei algumas atividades e serviços extras, fiquei um bom tempo sem ir ao cinema ou assistir um filme na TV com minha esposa. Sempre fui muito grudado com meus filhos, mas tive que ficar pouco tempo com eles nesse período”, lembra. Porém, ele afirma que valeu a pena, pois anteriormente havia reprovado quatro vezes em outras provas. Para os que buscam um concurso público, mas não têm disciplina para estudar sozinho, Ricardo aconselha um curso preparatório. Já aqueles que contam com uma base consolidada, sugere realizar ao menos um curso de exercícios após o lançamento do edital. Para finalizar, lembra que fez mais de 20 mil exercícios e passou nove meses sem usar nenhum tipo de rede social. E uma curiosidade: ele estudava ouvindo música clássica. “Vai que influenciou de alguma forma”, brinca.

[caption id="attachment_336766" align="alignleft" width="300"]Arquivo Pessoal Charlisom Marques: sete meses de estudo e aprovações no TST, na PMGO e na PMDF. (Foto: Arquivo Pessoal)[/caption]

Outro caso de sucesso é o de Charlisom Marques, que obteve o 8º lugar na prova objetiva do concurso. Desde que começou os estudos, focou na área de segurança. Entre 2012 e 2013, estudou cerca de sete meses, obtendo aprovações no Tribunal Superior do Trabalho, para segurança judiciário, e para soldado da PMGO e soldado da PMDF, cargo que exerce atualmente. Porém, para ser aprovado na prova do DF ele estudou durante um ano seguido. Para ele, passar em concursos públicos sempre será difícil e exige renúncia de várias coisas. “Certamente frequentar um curso preparatório foi o que me ajudou bastante. Além de conhecer nossos concorrentes, o que cria um ótimo clima, aprendemos dicas essenciais de especialistas no assunto”, afirma. Uma curiosidade relatada por Charlisom é que durante o período de estudos ele passou a ter uma alimentação mais saudável, incluindo óleo de peixe na sua dieta, além de atividades físicas, como corridas três vezes por semana. Ele aponta ainda que seu maior diferencial foi começar a se preparar muito antes do edital. “Além disso, sempre revisar as matérias foi de suma importância para aprender o máximo possível”, finaliza.

[caption id="attachment_336769" align="alignleft" width="300"]Arquivo Pessoal Leonardo teve o suporte de um programa personalizado de estudo durante a preparação. (Foto: Arquivo Pessoal)[/caption]

O nono colocado na prova de CFO/PMDF, Leonardo Moraes, tem 29 anos, e há 12 estuda para concursos públicos. “Prestei o primeiro concurso para escriturário do BRB em 2005. De lá para cá, tentei outras áreas e instituições diversas”, lembra. “Nos primeiros anos, não foquei em uma área específica. Se a oportunidade era boa, eu me inscrevia. Em 2009, saiu o edital para o Curso de Formação de Praças da PMDF. Fui aprovado nesse concurso e desde então direcionei os estudos para a carreira policial”. Sobre os métodos de estudos, ele lembra que teve assessoramento por meio de consultoria, onde obteve um programa personalizado e com acompanhamento. O período da tarde era reservado para a leitura do conteúdo, revisões e exercícios, além de simulados periódicos. Durante a noite e fins de semana, frequentava as aulas do preparatório. “O edital era extenso e levou um tempo até estabelecer um ritmo de estudo. Após determinado ponto já estava adaptado à nova rotina. Conforme ia avançando na matéria ficava mais motivado. Tive que conciliar as escalas de serviços com os estudos para superar obstáculos no caminho. Foi cansativo, mas consegui manter o foco”, afirma.

Para finalizar, Leonardo lembra que a motivação tem de ser reforçada dia após dia para se manter focado, firme e forte na luta pela vaga. “É acreditar que a aprovação está ao alcance e que, se você cumprir a meta, o objetivo será alcançado”.

Fonte: Metrópoles

  Prepare-se para o concurso PMDF - Soldado 2017 com a nossa equipe de especialistas e entre para o time de aprovados! Clique AQUI e saiba mais.

Eles chegaram lá! Alunos do IMP garantem boa colocação em concurso e dão dicas de como se preparar -

Quando comecei a estudar no IMP, não sabia nenhuma matéria que caia em concurso e achava que levaria anos para ser aprovado, ledo engano. Mesmo tendo pouco tempo para estudar fora do curso, conseguia assimilar bem a explicação em sala. Com pouco mais de 1 ano fiquei entre os 100 primeiros para uma concorrência de 30 mil. Devo tudo isso a Deus e ao IMP, sem dúvidas o melhor cursinho de Brasília. Todos os meus colegas da turma que não desistiram conseguiram a aprovação, todos.

Richardson Gomes Ferreira – PMDF -

Sempre tive em mente que deveria estudar até passar, e assim fiz! Foram muitos momentos de cansaço, de desânimo, de tristeza (principalmente quando "batia na trave"), porém isso tudo passava e eu voltava ao meu objetivo. E o IMP foi uma instituição muito importante para que eu o atingisse, devido aos bons professores e ao excelente material didático.  

Polyana de Fátima Roriz – Ministério da Justiça         -

"Decidi procurar um cursinho com base na qualidade e na profundidade com que as matérias eram abordadas, visto que não queria mais ter um conhecimento 'mais ou menos'. Foi aí que tomei conhecimento da Turma Platinum do IMP, em março de 2012, e achei a proposta do curso perfeita para o meu caso: todas as matérias mais cobradas em concurso são abordadas com profundidade, com a possibilidade de frequentar outras turmas de cursos específicos com o free pass, além de poder contar com a garantia duo, caso minha aprovação não ocorresse no primeiro ano de curso e, por fim, porém não menos importante, poder assistir aulas com excelentes professores, realmente preocupados em fazer o aluno entender e não apenas cumpridores de carga horária que 'jogam' a matéria de qualquer jeito."

Priscila Alves - 1º lugar no concurso do TRT da 10ª Região

"Os professores do IMP são excelentes e o valor dos cursos é bastante razoável. O material é de muita boa qualidade e é sempre entregue no início das aulas. Outro motivo para escolher o IMP foi o fato de oferecerem um curso de exercícios para o TSE. Na minha opinião, vale muito mais a pena um curso nesse formato do que um teórico, mesmo no caso de você nunca ter tido contato com as matérias (foi o meu caso em algumas das disciplinas desse concurso). Gostei bastante. Os professores, em média, conseguiam resolver mais de 100 exercícios por aula, além de pincelar a teoria de uma forma bastante objetiva."

Anjuli Tostes - 1º lugar no concurso da CGU

"Comecei a estudar para concursos públicos em 2008, mas não dei continuidade. Em julho de 2012, decidi estudar em tempo integral e focar de verdade. Fiz vários concursos e comecei a me classificar em alguns, mas sem muito sucesso. Em dezembro de 2012 decidi que iria focar no concurso do Banco Central do Brasil. Então, comecei a luta! Só que no meio do caminho apareceu o edital do TJDFT e incrivelmente o edital foi interessante para mim, pois as matérias eram bem parecidas. Assim, aproveitei e comecei a estudar as matérias comuns e separei duas semanas para estudar as extras. Fui fazer a prova, mas sem pressão. E esse foi o diferencial! Não coloquei todas as minhas expectativas nessa prova, mas fiz o meu melhor. E graças a Deus consegui o sucesso. Continuo a caminhada para o BACEN estudando no IMP com os melhores professores de Brasília. Força sempre!"

Vanessa Alcântara -

"Meu sonho é ser policial. Já obtive algumas conquistas nesta área, passei em um concurso para policial militar de Minas Gerais, onde cheguei a assumir e pedi baixa no início do curso de formação. No ano de 2012, fiz um concurso para a PM de São Paulo onde também fui aprovado. Cheguei a ser aprovado no TAF, mas minha esposa engravidou e acabei desistindo da ida para São Paulo. Sou grato ao IMP, pois um dia antes da prova da PMDF, tive a oportunidade de assistir a uma aula grátis de informática . Esta aula foi fundamental para eu atingir 12 pontos na parte básica da prova, onde o mínimo era 10 pontos. Acertei 3 questões de informática de um total de 4. Se eu chegar a ser convocado, pode ter certeza que a aula de informática assistida no dia anterior ao da prova foi fundamental para minha nota. Obrigadão, valeu professor de informática Renato Santos. Que Deus abençoe a todos do IMP."

2017 - IMP concursos - Todos os direitos reservados.